terça-feira, 29 de novembro de 2016

Dia 78 - Cavidade do jack

Para fazer o canal por onde passarão os fios os captadores, usaremos o mesmo procedimento das outras cavidades.

Abre-te!

Melhoramos o desenho do caminho mais longo e estiletamos os dois. Vamos à bancada.

Pronta para atacar.

Rebaixamos aos poucos, aproximando até a metade da profundidade das cavidades menores.

Canalizado.

Para completar o que falta da parte elétrica, agora, o espaço dos jacks.

Moldura dupla.

Com base em fotos da guitarra original, acertamos a posição. Na região definida, localizamos o centro desconsiderando o friso e traçamos de acordo com o molde.

Mexicanos andando de bicicleta?

Marcamos com uma ponteira de metal e furamos.

Largando o celular rapidinho, pra poder segurar o corpo contra a mesa!

Ligaremos os pontos.

Serrando.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Dia 77 - Cavidade da parte elétrica

Continuamos na furadeira de bancada para completar o trabalho da semana retrasada.


Ruínas.

Descendo a ação dela aos poucos, o manuseio fica mais fácil.


Detalhe do ajuste.

Logo, contornamos a maior parte.


Quase lá.

Aproximando do ideal, encostamos a fresa no ponto mais baixo da madeira para iniciar a limpeza.


Toda sinuosa.

Já ficou bem melhor.


I look at the floor and I see it needs sweeping.

Para completar, ainda desceremos um pouco mais até a profundidade atingir por volta de 37mm.


Última varrida.

Deu!


Suficiente, diz o paquímetro.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Dia 76 - Cavidade da parte elétrica

Vamos melhorar o esboço que tínhamos feito. Com uma régua curva francesa, redesenhamos as dimensões do espaço onde ficarão os potenciômetros e a chave de seleção de captadores.


Go, Willy!

Com uma linha mais definida, facilita o estiletar por cima.


Passei um pouco aqui, mas não faz mal.

Assim, podemos ir para a furadeira de bancada.


Começou!

Inicialmente, com uma fresa mais larga, ...


Quase um bucólico outono...

... que inicia o trabalho.


Bem destruidora.

Depois, com uma intermediária, ...


Sempre conectando os pontos.

... limpando o meio.


Vão aberto.

E concluímos com uma menor, indo até o limite marcado com estilete.


Aos poucos.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Dia 75 - Cavidades dos captadores

Concluiremos esta etapa, agora, fazendo o acabamento da cavidade do captador da ponte.


Descendo a fresa aos poucos.

Não tarda até deixarmos no mesmo estado da outra.


Novo casulo.

Porém, os captadores ainda não acomodam perfeitamente. Nas extremidades das bases, há porcas de fixação, já mapeadas quando passamos o desenho para a madeira. No canto inferior esquerdo, também há um ponto de solda.


Costas do captador.

Voltamos à furadeira de bancada para fazer estes ajustes.


Pronto!

Spoiler da próxima semana: cavidade da parte elétrica.


Usando botões quaisquer, apenas uma ideia.

Hoje ficamos por aqui, mas com espaço garantido para 2 captadores Rickenbacker Vintage Toaster.


Só se fartar de pão.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Dia 74 - Cavidades dos captadores

Definindo a região da madeira a ser removida, fazemos um retângulo em volta de onde os imãs dos captadores passarão.


Por enquanto, moleza.

Com estilete, marcamos com profundidade por cima da linha para delimitar claramente até onde podemos trabalhar. Basicamente, como fizemos dez dias atrás no tróculo.


Detalhe nas curvas das bordas.

Repetimos o mesmo processo no outro captador. Assim, podemos ir para a furadeira de bancada.


Com algum distanciamento das laterais.

A cada novo furo, devemos adentrar um pouco na região do anterior; sempre pegando a maior parte de madeira.


Iniciadas.

Para fazer o acabamento, substituímos a fresa por uma menor.


Toda artística!

Vamos descendo a ação aos poucos para evitar que escorregue.


Degraus.

Seguindo com atenção, logo concluímos a cavidade do captador do braço.


Foi!

Resta a outra.


Buracos à vista.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Dia 73 - Friso nos cutaways e posicionamento dos captadores

Para concluir a estiletagem, falta acertar as laterais.


Nos cutaways.

Além da curva inferior que ainda restava, também trabalhamos mais um pouco na de cima. Nesta região, por causa do encaixe do braço, é um pouco mais complicado conseguir um bom ângulo para alcançar nosso objetivo.


Just a little patience...

Com as laterais acertadas, agora é só remover o excedente na região do tróculo. Cortamos a maior parte com um alicate e alinhamos junto à madeira com uma lima.


Terminamos com o pé direito!

Avançamos: definiremos onde os captadores serão instalados. Medimos, colocamos uma fita crepe em cima e marcamos bem no meio. Esta linha deve seguir o centro da ponte e do braço.


Conferindo pelas extremidades.

Como é possível ver acima, o captador não repousa inteiramente na madeira, pois os imãs que o constituem ultrapassam as dimensões da base. Isto dificultaria transpor seu desenho com exatidão, porém, tivemos uma ideia: suspendemos a ponte, para que uma régua passe por baixo e ajude a marcar o centro no corpo, ...


Alinhando.

e desmontamos o captador para usar sua base como referência.


Cavidades mapeadas.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Dia 72 - Acabamento do friso

Ainda vamos limar mais um pouco por cima do friso.


Diferença perceptível no tato.

O objetivo é deixá-lo na mesma altura da madeira.


Assim!

Depois de equiparar em todo corpo, usamos a mesma ferramenta para acertar a sobra da colagem no cutaway superior feita no dia 70.


Vai melhorando.

Com uma lâmina de estilete, agora vamos igualar as laterais. Trabalhamos da metade para baixo para que não altere o aspecto do friso quando visto de frente.


Alguma diferença visual será compensada com a pintura.

Desta vez, com mais cuidado para não repetirmos o erro do dia 43.


Direita riscada.

Só falta um pequeno trecho para concluir esta etapa.


Cutaway inferior por fazer.